quarta-feira, 27 de maio de 2015

"Menos pior"
























Notícia retirada do site Globoesporte:

"Botafogo oferece Henrique para manter Sassá, alvo de chineses.

Direção alvinegra tenta manter seu 12º jogador, autor de quatro gols em 2015, e, por isso, tenta convencer clube oriental a aceitar atacante pouco usado por René Simões".

Não tem jeito, essa é a nossa realidade: Fazer de tudo para permanecer com Sassá.

Até porque, comparando com o Henrique, o Sassá com certeza é "menos pior". Neste ponto, a diretoria faz bem em tentar essa "troca" junto aos orientais.

Mas eu preferia mesmo que os chineses chegassem com tudo atrás dos dois...
...e do Bill.

Quem sabe assim, os dois jovens da base (Vinicius e Luis Henrique) não poderiam ser observados com mais atenção nos profissionais, né?


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

terça-feira, 26 de maio de 2015

Melhor marcador
























Apesar da imensa maioria dos torcedores botafoguenses não concordar, para o técnico Renê Simões é fato: O Marcelo Mattos é o primeiro volante titular absoluto do time.

Mas nas vezes em que o MM fica ausente (seja por cartão ou contusão), o comandante parece não saber o que fazer.

Nos jogos da Copa do Brasil, optou pelo Aírton...
...aí no sábado passado, contra o Atlético/GO, resolveu inventar o tal do Camacho.

O resultado, sabemos: Não tivemos segurança na marcação com o recém contratado. Só melhorou quando ele saiu contundido, justamente para a entrada do Aírton.

E mais: O próprio Willian Arão cresceu no jogo, podendo arriscar mais na frente e melhorar a saída de bola.

Portanto, tirando eventual "impo$ição de empresário", nada justificará a permanência do Camacho no sábado que vem.

Que o Aírton seja efetivado até o término do seu contrato (e aí analisam a sua permanência ou não no clube).


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

segunda-feira, 25 de maio de 2015

Realidade dura e crua















Clique aqui para conferir a entrevista (retirada do FogãoNet) concedida pelo presidente Carlos Eduardo Pereira à Super Rádio Tupi.

Bastante coerente e pés no chão.

Foi a impressão que tive ao ler as suas respostas para tantos assuntos complicados que estão sendo administrados em General Severiano.

Diante da realidade, é bom nos prepararmos - e já falamos várias vezes disso - para anos difíceis pela frente.

E não serão poucos.

De todo modo, o CEP tem - até agora - o meu total apoio e torcida.


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

domingo, 24 de maio de 2015

Mudar maneira de jogar

















Palavras do técnico Renê Simões, após o empate com o Atlético/GO:

"- Perdeu um pouco de profundidade sem o Pimpão. Conversei com o time no intervalo. Estávamos jogando como se o Pimpão estivesse em campo. Sem ele, tem que segurar um pouco mais a bola, girar de um lado para o outro, aproximar... E o time não fez isso. Fez falta, assim como o Sassá. Faltou velocidade. Mas se eles não estão, temos que aprender a jogar de outra forma. Não pode servir como desculpa. Temos que saber fazer a leitura do jogo".

Ok, mas já sabíamos que os dois citados estariam ausentes desde o sábado passado. Não foi treinado ou conversado uma outra maneira de atuar? Além do que, desculpem, mas as características do Lulinha são parecidas com a do Pimpão.

Por fim, se é para aprender a ler o jogo, passou da hora do próprio Renê se tocar que:

1- Com o Bill no comando de ataque não dá. Por que não testar o Vinicius e/ou Luis Henrique?

2- Camacho de volante, deixando o Andreazzi e Fernandes fora até do banco é demais.

3- Emerson precisa/deve ser testado na zaga.

Os amigos têm outras observações?


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

sábado, 23 de maio de 2015

Empate que deu sono















Em um jogo insosso e sem saber aproveitar a maioria absoluta dos torcedores no estádio, o Botafogo não saiu do 0 a 0 contra o Atlético/GO, em Brasília.

Eu vi o de sempre: Muita posse de bola (sem nenhuma objetividade), pouca movimentação, diversos passes errados, insistência com alguns atletas e substituições no famoso "seis por meia dúzia".

Na primeira etapa, tirando uma boa defesa do Jefferson e dois lances do Lulinha, nada tivemos.

Já no segundo tempo, ao menos houve mais espaços das duas equipes, que mesmo assim, continuaram abusando do direito de errar. 

No gol botafoguense, o Jefferson mostrou que sua presença intimida o atacante adversário. Em duas saídas de bola, evitou que o atleticano conseguisse o drible com espaço para conclusão. Já na frente, o Bill seguia se posicionando de maneira bisonha, praticamente sem tocar na bola.

Resumindo: O Botafogo não perdeu e somou 7 pontos (em 9 disputados)...
...mas continua demonstrando limitações técnicas e táticas que podem ser melhor trabalhadas.


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

Botafogo 0 x 0 Atlético/GO

1- Jefferson: Uma ótima defesa e duas grandes saídas fechando o ângulo de chute - 6,0

2- Gilberto: Errou tudo - 4,0

3- Renan Fonseca: No seu nível, apenas medíocre - 5,0

4- Giaretta: Se enrolou em vários lances - 4,5

5- Camacho: Não tem muita pegada de primeiro volante - 4,5

6- Pedro Rosa: Discreto demais - 4,0

7- Lulinha: Começou bem e depois sumiu - 5,5

8- Willian Arão: Cresceu quando teve mais liberdade para subir ao ataque - 5,5

9- Bill: Muita correria e pouca objetividade - 4,5

10- Daniel Carvalho: Não conseguiu se livrar da marcação - 4,0

11- Elvis: Lampejos. Poucos, diga-se de passagem - 4,5

12- Aírton: Melhorou a marcação - 5,0

13- Tomas: Não mudou em nada o que o Elvis vinha fazendo - 4,5

14- Diego Jardel: Tentou buscar o jogo e dar mais velocidade - 5,5

Renê Simões: Segue nas mudanças de sempre, sem alterar o desenho tático ou maneira da equipe atuar - 4,5

Praticamente em casa


















Terceira rodada do Brasileiro.

Segunda partida "fora de casa".

Desta vez, o Atlético/GO...
...em Brasília.

A capital federal é um reduto de botafoguenses. Ou seja, o GLORIOSO terá a maioria na arquibancada ao seu lado.

Boa oportunidade para somar mais três pontos e continuar firme e forte na liderança do campeonato.

Pra cima deles, Fogão!


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

sexta-feira, 22 de maio de 2015

Chamou atenção no Sul

















Notícia retirada do site FogãoNet (clique aqui para a íntegra):

"Grêmio faz sondagem a lateral do Botafogo. Há cláusula de liberação pra Série A".

O referido lateral é o Luis Ricardo, emprestado pelo São Paulo ao GLORIOSO.

Bom, se existe uma cláusula, pouco podemos fazer (caso realmente haja interesse do clube gaúcho). Menos mal seja o LR, pois apesar do gol contra o Figueirense, ainda o considero bem inferior ao Gilberto. Principalmente na parte ofensiva, já que ambos são fracos na marcação.

E pode ser uma boa oportunidade para o jovem Diego, bastante elogiado nos confrontos contra o Capivariano, também pela Copa do Brasil.


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

quinta-feira, 21 de maio de 2015

Mais poderio ofensivo
























Após o empate com o Figueirense, o técnico Renê Simões falou sobre a partida do seu time:

"- É difícil o Botafogo passar em branco em algum jogo. Os jogadores sabiam que uma hora o gol ia sair. Essa é nossa característica. No primeiro tempo poderíamos ter feito pelo menos três gols. Foi um bom jogo. Gostei da equipe. Demos ritmo a alguns jogadores que não vinham jogando. O Henrique foi bem apesar dos gols perdidos, o Luis Ricardo, o Airton, o Emerson..."

Ok, mas espero que o próprio RS, além de dar ritmo de jogo à outros atletas (Andreazzi  e Pedro Rosa, por exemplo), também passe a utilizar os jovens Vinicius e Luis Henrique logo no time de cima.

Depender de Bill e Henrique...
...não há "vocação ofensiva" que resista tanto tempo.


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

quarta-feira, 20 de maio de 2015

Empate com sabor de vitória















Antes de qualquer coisa, me desculpem os mais "modernos": O Botafogo é preto e branco. Apenas preto e branco.

Qualquer outra coisa/cor, se não estou enganado, é ferir o estatuto do clube.

O que vi hoje a noite vestindo calção cinza não é o Botafogo.

Enfim, desabafo feito, um pouco sobre o primeiro confronto contra o Figueirense pela terceira fase da Copa do Brasil...

Analisando o resultado, o empate em 2 a 2 (Giaretta e Luis Ricardo) jogando em Florianópolis pode ser considerado bom. Entraremos no Nilton Santos com a vantagem de poder empatar até por 1 a 1.

A respeito da partida botafoguense, dentro das limitações, até que não foi de todo ruim.

Mas confesso que não sei se por méritos do GLORIOSO ou demérito do adversário, também fraquíssimo.

No primeiro tempo, apesar da vantagem do Figueirense, os dois times protagonizaram um futebol de baixíssimo nível. Com destaques para o atacante Henrique, errando tudo e mais um pouco.

Já na segunda etapa, uma melhora do Botafogo ou piora do time catarinense? 

Só sei que passamos a atacar mais e mesmo com o Bill também errando tudo e mais um pouco, chegamos ao empate (eu não acreditava mais!) no último lance.

Coisas que nunca acontecem com o Botafogo.

Será um sinal de sorte?

Tomara, mas que não precisemos dessas emoções no sábado, quando voltaremos as atenções para o Brasileirão, contra o Atlético/GO.

Na Copa do Brasil, esperamos o Figueirense no Rio de Janeiro (em data ainda não definida).


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

Botafogo 2 x 2 Figueirense

1- Jefferson: Hesitou na saída no segundo gol do Figueira. Mesmo assim, realizou três milagres - 6,5

2- Luis Ricardo: Discretíssimo, mas saiu como herói no minuto final - 5,0

3- Renan Fonseca: Meio estabanado - 4,5

4- Giaretta: Apesar do gol, foi mal na zaga - 4,5

5- Aírton: Enquanto esteve em campo, foi o melhor alvinegro. Desarmou e até se arriscou na frente - 6,5

6- Carleto: Hoje ao menos não comprometeu - 5,0

7- Pimpão: Apagado - 4,0

8- Willian Arão: Se encontrou melhor no segundo tempo - 5,5

9- Henrique: Um freak show em pessoa - 3,0

10- Diego Jardel: Bons lampejos, apenas - 5,0

11- Elvis: No mesmo nível do DJ - 5,0

12- Emerson: Depois do lance do segundo gol do Figueirense, ficou mais tranquilo - 5,0

13- Camacho: Até tentou sair para o jogo... - 5,0

14- Bill: Tão bisonho quanto o Henrique - 3,0

Renê Simões: Só substituições seis por meia dúzia. Deu sorte que o Argel recuou demasiadamente a sua equipe - 4,5

Exorcizar o fantasma



















Não tem jeito. 

Desde a semifinal da Copa do Brasil de 2007, o Figueirense se tornou um daqueles adversários que nos remete um certo sentimento de "raiva" e vontade redobrada de vencer.

Curioso que nem por culpa do próprio clube catarinense, afinal, naquela disputa, só não chegamos à decisão por conta da "vagaranha" da Ana Paula, ex-assistente. 

No campo, com a bola rolando - e se tudo fosse apitado como deveria ser -, seríamos o adversário do ECTD em 2007.

Mas assim é o mundo da bola. E assim o destino nos traçou novamente o Figueirense pela CB. 

Só que ainda estamos longe das semifinais.

Hoje a noite acontece o primeiro confronto lá em Florianópolis.

Fazer um gol fora de casa é sempre bom. E se for com empate ou vitória, melhor ainda.

Pra cima deles, Fogão!


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

terça-feira, 19 de maio de 2015

Onze nomes, duas vagas

















O site Globoesporte listou 11 opções para o setor ofensivo do meio de campo botafoguense.

Entre elas, cabe ao técnico Renê Simões escolher as duas (mais ou menos, dependendo do esquema tático) titulares.

Os nomes listados foram: Cidinho, Daniel Carvalho, Diego Jardel, Elvis, Fernandes, Gegê, Camacho, Jefferson Paulista, Luis Ricardo, Lulinha e Tomas.

Autor de um dos gols da vitória sobre o CRB, o Elvis falou sobre o seu início de temporada e a volta por cima (até se machucar antes das finais do campeonato carioca):

"- Realmente cheguei um pouco abaixo dos demais. Precisava de tempo para brigar de igual para igual. Mas jogadores e comissão técnica me acolheram bem e correspondi quando chegou minha hora. As oportunidades foram surgindo, e trabalhei para isso. Os gols me dão confiança para render mais".

Bom, considerando um 442 clássico, eu não teria dúvidas nos dois apoiadores: Daniel Carvalho e Elvis.

E os amigos?

Obs: Os meus volantes seriam o Giaretta e Arão.


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

segunda-feira, 18 de maio de 2015

Lição aprendida

















Ontem eu consegui ver o lance da expulsão do Pimpão, sábado, contra o CRB.

De fato, como todos amigos haviam me adiantado, um vermelho desnecessário, burro. 

Por sorte, a fatura estava praticamente liquidada, mas agora não teremos o camisa 7 contra o Atlético/GO.

Questionado sobre o seu erro, o atacante falou:

"- Sei que o cartão vermelho poderia ter sido evitado. Mas tenho a consciência tranquila que não fiz nada de grave. Fica o aprendizado de não cometer o mesmo erro novamente".

Esse aprendizado já deveria estar decorado. São jogadores experientes e que defendem um clube grande. Não podem, em casa, diante de um adversário fraco e abatido, cometerem deslizes como o do RP no sábado.

Ao menos, parece que o Renê Simões deu uma bronca no Pimpão. Se sim, bem dada!


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!